Implementação Híbrida e Migração do Exchange com o Office 365

 

Aplicável a: Office 365 for enterprises

Data da última modificação do tópico: 2012-05-02

Se estiver actualmente a gerir um sistema de correio electrónico no local e estiver a implementar o Microsoft Office 365 para empresas, necessita de um planeamento cuidado. Primeiro, considere os seus objectivos a longo prazo:

  • Se o seu objectivo a longo ou curto prazo for manter as caixas de correio simultaneamente na organização no local e na nuvem, deverá implementar o Exchange na organização no local utilizando um processo denominado implementação híbrida.

    Uma implementação híbrida requer o Microsoft Exchange Server 2010. Contudo, não é necessária uma organização de Exchange 2010 completa para criar uma implementação híbrida. Pode instalar um servidor híbrido do Exchange 2010 mínimo numa organização do Exchange 2003 ou do Exchange 2007 existente.

  • Se o seu objectivo a longo prazo for mover todas as caixas de correio para a nuvem, tem de avaliar a infra-estrutura de correio electrónico no local actual e seleccionar o método e a ferramenta de migração que funciona melhor na organização. Existem vários métodos para migrar todas as caixas de correio para Office 365 para empresas. Cada método tem vantagens e desvantagens para administradores e utilizadores e cada método tem requisitos e dependências específicos.

Este tópico foi concebido para o ajudar a compreender todas as opções e planear a implementação. Explica a terminologia e descreve opções de implementação e as ferramentas incluídas com o Exchange Online e o Office 365 para empresas do seguinte modo:

Terminologia: anel descodificador secreto

À medida que analisa o software e a documentação de apoio, verificará que utilizamos termos como “coexistência avançada” e “coexistência simples”, bem como “implementações entre instalações” e “implementações híbridas”. Estes termos representam a evolução do software no sentido de processar um cenário “entre instalações” básico.

O esclarecimento da terminologia está a ser efectuado. Entretanto, esperamos que a tabela seguinte o ajude a compreender a terminologia em utilização no software e na documentação.

 

Termo

Descrição

implementação híbrida

A implementação completa de uma solução de mensagens do Exchange entre locais com o Office 365 para empresas e o Exchange Online. As funcionalidades incluem:

  • O encaminhamento de correio entre as organizações no local e baseada na nuvem

  • O encaminhamento de correio com um espaço de nomes de domínio partilhado. Por exemplo, ambas as organizações no local ou baseada na nuvem utilizam o domínio SMTP @contoso.com.

  • Uma lista de endereços global unificada, também chamada "livro de endereços partilhado"

  • A partilha de informações de disponibilidade e calendários entre as organizações no local e baseada na nuvem

  • Controlo centralizado de fluxo de correio. A organização no local pode controlar o fluxo de correio das organizações no local e baseada na nuvem.

  • Um único URL do Outlook Web App para ambas as organizações no local e baseada na nuvem

  • A capacidade de mover caixas de correio no local existentes para a organização baseada na nuvem

  • Gestão de caixas de correio centralizada utilizando a Consola de Gestão do Exchange (EMC) no local

  • Monitorização de mensagens, Sugestões de Correio e pesquisa em várias caixas de correio entre as organizações no local e baseada na nuvem

híbrida

Uma forma abreviada de “implementação híbrida”

entre locais

Uma expressão genérica que se refere a qualquer implementação de mensagens em que o encaminhamento de correio expande uma implementação no local e uma organização baseada na nuvem.

coexistência avançada

Consulte “implementação híbrida”. O termo “co-existência avançada” foi substituído por “implementação híbrida”.

coexistência simples

Um termo obsoleto que se refere a implementações entre locais em que o Exchange 2010 não está implementado no ambiente no local. No desenvolvimento, considerámos o temo demasiado amplo, pelo que não terá continuidade. A “co-existência simples” aparecerá referenciada em alguma documentação e interface de utilizador.

Migração do Exchange

A funcionalidade Exchange Online que pode utilizar para mover caixas de correio ou, no caso da migração de correio electrónico IMAP, o conteúdo das caixas de correio dos utilizadores, da organização do Exchange no local para a nuvem. Poderá encontrar as ferramentas de migração do Exchange Online no separador Migração de Correio Electrónico no painel de Controlo do Exchange. Existem três tipos de migração do Exchange:

  • Migração de Exchange por transferência de sistema, anteriormente designada migração simples de Exchange.

  • Migração do Exchange faseada, que permite manter encaminhamento de correio numa implementação no local e numa organização baseada na nuvem a curto e longo prazo

  • Migração de correio electrónico IMAP, utilizada para migrar o conteúdo das caixas de correio dos utilizadores de um sistema de mensagens IMAP para a respectiva caixa de correio baseada na nuvem.

início de sessão único

O processo de autenticação que permite que os utilizadores utilizem as credenciais da empresa do Active Directory existentes (nome de utilizador e palavra-passe) para aceder aos serviços no Office 365 para empresas. Também denominado federação de identidade, o início de sessão único no Microsoft Office 365 utiliza o Active Directory Federation Services 2.0 (AD FS).

federação de identidade

Também utilizada para descrever o “início de sessão único”, este termo é utilizado na documentação do Microsoft Office 365, mas será alterado para “início de sessão único”. Consulte a mensagem de wiki Federação no Office 365 e no Exchange para obter uma explicação sobre a terminologia de federação utilizada no Office 365.

servidor híbrido

Um computador que executa uma edição Híbrida do Exchange Server 2010 e que está instalado numa organização de Exchange Server 2007 ou Exchange Server 2003 com o objetivo de suportar uma implementação híbrida. Este computador era anteriormente designado “servidor de coexistência” em alguma documentação.

Voltar ao início

Opções de implementação de correio electrónico a longo prazo principais

As ferramentas de planeamento e de implementação do Office 365 para empresas foram concebidas para suportar cada uma das seguintes opções de implementação de correio electrónico a longo prazo:

  • Implementação híbrida   As caixas de correio para a organização podem residir no local numa organização do Exchange e na nuvem. No cenário de implementação híbrida, a funcionalidade de mensagens está totalmente integrada na implementação no local e na implementação na nuvem. Para obter a lista completa de funcionalidades suportadas, consulte “Implementação híbrida” na tabela precedente.

    Esta cenário de implementação híbrida pode igualmente incluir início de sessão único, o que permite aos utilizadores utilizarem as suas credenciais do Active Directory existentes no local para aceder a todos os recursos no local e na nuvem.

  • Todas as caixas de correio na nuvem   Se o seu objectivo a longo prazo não necessitar de uma funcionalidade de mensagens que se expanda entre locais, deve planear mover todas as caixas de correio para a nuvem. A migração poderá demorar uma semana ou meses, mas é a melhor opção se o seu objectivo a longo prazo for migrar todas as caixas de correio para a nuvem.

Tal como explicado na secção seguinte, muitas das ferramentas de migração e entre locais que foram desenvolvidas para suportar estas duas opções de caixa de correio a longo prazo podem ser utilizadas para suportar outros cenários entre locais. No entanto, as ferramentas de planeamento e de implementação incorporadas no Office 365 para empresas e no Exchange Online foram concebidas para suportar mover todas as caixas de correio para a nuvem e para suportar uma implementação híbrida.

Voltar ao início

Opções de implementação adicionais

Com estas ferramentas descritas neste documento, pode reunir outras soluções que poderão ser úteis para a sua organização, a curto prazo, apenas durante a migração, ou a longo prazo. Observemos estas opções.

Gerir utilizadores no local com as ferramentas do Office 365

Uma forma alternativa de migração é mover todas as caixas de correio para a nuvem, mas continuar a gerir utilizadores e recursos a partir do Active Directory existente. Depois de configurar o início de sessão único e instalar a ferramenta de Sincronização de Directórios do Microsoft Online Services, os utilizadores podem utilizar as credenciais da empresa do Active Directory (nome de utilizador e palavra-passe) para aceder às novas caixas de correio na nuvem e aos recursos existentes no local. Se a sua organização estiver a executar o Exchange 2003 ou uma versão posterior e tiver menos de 1000 caixas de correio, pode executar uma migração de Exchange por transferência de sistema para mover as suas caixas de correio e depois configurar o single-sign on. Para mais informações, consulte Migração de Transferência do Exchange e Início de Sessão Único.

Em alternativa, caso esteja a atualmente a executar o Exchange 2003 ou o Exchange 2007 no local, pode utilizar a migração de Exchange por fases para suportar este cenário. Para mais informações, consulte Planear Identidade de Utilizador numa Migração Faseada do Exchange.

Aprovisionar utilizadores do Active Directory no local para a nuvem

Se não necessitar do início de sessão único, a implementação da sincronização do Active Directory apenas na organização no local permite-lhe aprovisionar utilizadores do Active Directory no local para a nuvem. Esta solução poderá funcionar em organizações que mantêm encaminhamento de correio entre a organização baseada na nuvem e um sistema de mensagens no local que não seja do Exchange ou em organizações que simplesmente preferem ter o Active Directory no local como origem de todos os utilizadores. Neste cenário, as organizações que disponham de muitos utilizadores devem ponderar uma solução personalizada de sincronização das palavras-passe da organização do local para a nuvem.

Explorar soluções de terceiros

Se não tiver o Exchange 2003 ou uma versão posterior ou se estiver a executar um sistema de mensagens baseado na Web ou em outros sistema de mensagens no local, poderá ter de trabalhar em conjunto com um parceiro para encontrar uma solução que corresponda às suas necessidades utilizando as ferramentas apresentadas neste documento. Por exemplo, a migração de correio electrónico IMAP poderá ser suficiente como método para mover dados da caixa de correio para os utilizadores, enquanto uma solução de terceiros poderá ser a resposta para migrar soluções de fluxo de trabalho baseadas em mensagens para o Exchange Online.

Voltar ao início

Variáveis: itens a considerar à medida que prepara a implementação

Depois de ter optado pela opção de implementação de correio electrónico a longo prazo, tem de obter informações sobre as ferramentas que pode utilizar para mover caixas de correio para a nuvem e para tornar a fase de migração numa experiência melhor para os utilizadores e equipa de TI. Deve igualmente ter em conta o encaminhamento, o fluxo de correio e a gestão de identidades quando planeia a migração ou uma implementação híbrida.

  • Gestão de identidades

  • Ferramenta de Sincronização de Directórios do Microsoft Online Services

  • Encaminhamento de correio

  • Ferramentas e métodos de migração

Gestão de identidades

Como pretende gerir as identidades dos utilizadores na nuvem? Dispõe de duas opções:

  • Identidade não federada

  • Início de sessão único (também conhecido como federação de identidades)

Identidade não federada

Com a identidade não federada, todos os utilizadores com caixas de correio na nuvem utilizam credenciais geradas com o Office 365 para aceder aos recursos do Office 365. Pode criar novas contas de utilizador e palavras-passe para os utilizadores do Office 365 no portal do Office 365. Em alternativa, pode utilizar a sincronização de directórios para aprovisionar automaticamente utilizadores a partir do Active Directory no local. De ambas as formas, as credenciais são geradas e geridas pelo Office 365.

Se tiver um sistema de gestão de identidades no local, os utilizadores terão um conjunto de credenciais para os recursos do Office 365 e um conjunto de credenciais para os recursos no local.

A vantagem de uma solução de gestão de identidades não federada é que existe menos overhead na implementação e na configuração da solução de identidades. Nalgumas pequenas organizações ou em organizações que irão mover todos os recursos de utilizadores para a nuvem num futuro próximo, uma solução de gestão de identidades não federada é ideal.

A desvantagem de uma solução de gestão de identidades não federada para organizações que continuem a manter recursos de utilizador no local é que a experiência do utilizador é fracturada e exige mais formação de utilizadores sobre a gestão de credenciais. O suporte poderá ser dispendioso se pretender que os utilizadores giram dois conjuntos de credenciais para aceder a vários recursos diferentes em duas implementações.

Em organizações de grande e média dimensão, os custos de suporte técnico e gestão a longo prazo irão provavelmente tornar uma solução de identidades não federada mais dispendiosa que o início de sessão único.

Início de sessão único

Quando implementa o início de sessão único, todos os utilizadores com caixas de correio na nuvem utilizam as credenciais do Active Directory no local existentes para aceder tanto aos recursos na nuvem como aos recursos no local.

Resumidamente, isto é activado instalando o servidor ou os servidores AD FS na organização no local. O servidor AD FS efectua a federação do serviço do Office 365 na nuvem de modo a fornecer acesso delegado para as identidades no local para recursos específicos do Office 365 e do Exchange Online no espaço de nomes de domínio baseado na nuvem.

A vantagem do início de sessão único é que os utilizadores não necessitam de aprender um novo esquema de gestão de credenciais. Além dos benefícios para os utilizadores, existem muitos benefícios para administradores:

  • Controlo de políticas: O administrador pode controlar políticas de conta através do Active Directory, o que confere ao administrador a capacidade de gerir políticas de palavra-passe, restrições a estações de trabalho, controlos de bloqueio, etc., sem ter de efectuar tarefas adicionais na nuvem.

  • Controlo de acesso: O administrador pode restringir o acesso ao Office 365 de modo que os serviços possam ser acedidos através do ambiente da empresa, através de servidores online ou ambos.

  • Chamadas de suporte reduzidas: As palavras-passe esquecidas são uma fonte comum de chamadas de suporte em todas as empresas. Se os utilizadores tiverem de memorizar menos palavras-passe, é menos provável que as esqueçam.

  • Segurança: As informações e as identidades dos utilizadores estão protegidas, dado que todos os servidores e serviços utilizados no início de sessão único são geridos e controlados no local.

  • Suporte para autenticação forte: O Office 365 permite-lhe utilizar autenticação forte, também designada autenticação de dois fatores. Contudo, se utilizar autenticação forte, deverá utilizar single sign-on.

Depois de implementar o AD FS e a sincronização de directórios, todos os utilizadores e recursos são geridos a partir do Active Directory no local existente.

A desvantagem do início de sessão único é que tem de instalar novos servidores, o que exige um certificado emitido por uma autoridade de certificação (CA) e acrescenta complexidade e custos à gestão de utilizadores.

Nota   O início de sessão único é recomendado, mas não exigido, no cenário de implementação híbrida.

O início de sessão único também poderá ser uma boa solução em algumas organizações de grande dimensão que planeiem migrar todas as caixas de correio para o Office 365 ao longo de vários meses.

Com o decorrer do tempo, na maioria das organizações que planeiam manter um conjunto de recursos do Active Directory no local juntamente com o Office 365, o início de sessão único é uma boa solução para simplificar a gestão de identidade de utilizadores.

Importante

  • O início de sessão único com o AD FS exige o Active Directory no local.

  • O início de sessão único exige que instale e execute a ferramenta de Sincronização de Directórios do Microsoft Online Services.

  • Se estiver a planear migrar todas as caixas de correio para a nuvem e configurar o início de sessão único, não pode implementar o AD FS ou a sincronização de diretórios antes de executar a migração do Exchange por transferência de sistema no Painel de Controlo do Exchange. No entanto, pode executar uma migração faseada do Exchange depois de implementar o AD FS e a sincronização de directórios.

Para mais informações, consulte os tópicos seguintes:

Voltar ao início

Ferramenta de Sincronização de Directórios do Microsoft Online Services

A ferramenta de Sincronização de Directórios do Microsoft Online Services é principalmente utilizada para sincronizar a lista de endereços global do Exchange, também conhecida como livro de endereços partilhado, suportar cenários de encaminhamento complexos e aprovisionar utilizadores numa implementação entre locais. A sincronização de directórios é um requisito para o cenário de implementação híbrida e poderá criar uma melhor experiência de utilização ao utilizador em alguns cenários de migração, em especial se está a planear activar o início de sessão único.

No entanto, na perspectiva da gestão de utilizadores, a sincronização de directórios destina-se a uma utilização a longo prazo. Embora possa desativar (e reativar) a sincronização de diretório, deverá ponderar a implementação da sincronização de diretório como um compromisso de longo prazo. Para obter mais informações sobre o planeamento da desativação e reativação da sincronização de diretório, consulte a mensagem de wiki Sincronização de diretório e fonte de autoridade.

Por predefinição, a ferramenta de Sincronização de Directórios sincroniza unidireccionalmente a partir do directório no local para o directório na nuvem escrevendo as informações dos utilizadores das caixas de correio no directório da nuvem para a organização do Office 365.

Para activar algumas funcionalidades da implementação híbrida, tem de conceder acesso de escrita à ferramenta de Sincronização de Directórios de modo a sincronizar alguns dados de utilizador relacionados com as mensagens no Active Directory no local. As seguintes funcionalidades são activadas pela sincronização do acesso de escrita com o Active Directory no local:

  • Arquivar caixas de correio no local na nuvem

  • Mover caixas de correio de uma nuvem para a organização do Exchange no local

  • Sincronizar listas de remetentes geridas pelo utilizador e listas de remetentes bloqueados a partir da nuvem

  • Sincronizar notificações de voice mail a partir da nuvem

Importante   A sincronização de directórios é necessária para o seguinte: implementação híbrida, início de sessão único e migração do Exchange faseada.

Para mais informações, consulte Sincronização do Active Directory: Plano de procedimentos.

Voltar ao início

Encaminhamento de correio

De uma forma geral, o encaminhamento de correio para uma implementação híbrida é simples. As ferramentas (principalmente a ferramenta de Sincronização de Directórios) são optimizadas para apontar o registo MX para o sistema do Exchange no local como domínio autoritativo. O envio de correio electrónico para destinatários baseados na nuvem é reencaminhado da organização do Exchange no local para a nuvem. O Assistente de Implementação do Exchange Server explica como configurar este esquema de encaminhamento em implementações híbridas.

Pode igualmente configurar o encaminhamento para implementações híbridas de modo que o registo MX aponte para a nuvem como domínio autoritativo. Para obter mais informações, consulte Encaminhamento Híbrido – Apontar o seu registo MX para a Nuvem.

As configurações de encaminhamento de correio mais complexas, por norma, só são efectuadas se estiver a planear uma implementação a longo prazo em que os sistemas de mensagens expandam as implementações no local e na nuvem. Na maioria dos casos, se estiver a planear migrar todas as caixas de correio para a nuvem, não é necessário considerar cenários de encaminhamento de correio complexos. A excepção aqui poderá ocorrer em migrações faseadas, longas, em que o encaminhamento de correio avançado poderá ser necessário para manter a qualidade de serviço do correio electrónico durante a migração.

Importante   Tanto a migração do Exchange por transferência como a migração do Exchange faseada gerem a sincronização de correio a curto prazo durante a fase de migração. A migração do Exchange por transferência de sistema sincroniza correio eletrónico utilizando subscrições até à migração estar concluída. A migração do Exchange faseada encaminha correio electrónico colocando o carimbo do endereço de destino da nuvem nas caixas de correio no local.

Voltar ao início

Ferramentas e métodos de migração

Estão disponíveis os seguintes métodos e ferramentas de migração:

  • Mover pedidos com o Serviço de Replicação de Caixa de Correio (MRS)

  • Migração de transferência do Exchange

  • Migração faseada do Exchange

  • Migração de correio electrónico IMAP

  • PST Capture

  • Soluções de terceiros

O Assistente de Implementação do Exchange Server explica como implementar a maior parte destas soluções.

Mover pedidos com o Serviço de Replicação de Caixa de Correio (MRS)

O Serviço de Replicação de Caixa de Correio do Microsoft Exchange (MRS), que reside em todos os servidores de Acesso de Cliente do Exchange 2010, é o serviço responsável ao mover caixas de correio, importar e exportar ficheiros .pst e restaurar caixas de correio que tenham sido desactivadas ou que não tenham sido eliminadas de uma forma permanente.

Os pedidos para mover exigem uma implementação híbrida. Os pedidos para mover permitem mover caixas de correio entre a organização do Exchange no local e a nuvem. Este procedimento é efectuado na Consola de Gestão do Exchange.

Se estiver a planear migrar e implementar uma implementação híbrida a longo prazo com o Exchange no local, os pedidos para mover são a forma recomendada de migrar caixas de correio.

Em organizações de grande dimensão que estejam a executar o Exchange 2003 ou o Exchange 2007 no local e planeiem mover todas as caixas de correio para a nuvem durante um período de vários meses, a utilização de pedidos para mover como ferramenta para uma migração faseada e longa do Exchange, que é essencialmente uma implementação híbrida, poderá fazer sentido.

Importante   Os pedidos para mover exigem uma instalação mínima de um servidor híbrido do Exchange 2010 na organização do Exchange no local. Tem de estar a executar o Exchange 2003 ou uma versão posterior para implementar a solução híbrida. O Assistente de Implementação do Exchange Server pode ajudá-lo a gerar um plano de implementação híbrida.

Para mais informações, consulte os tópicos seguintes:

Migração de transferência do Exchange

A migração do Exchange por transferência de sistema destina-se a organizações que tenham menos de 1000 caixas de correio e pretendam mover todas as caixas de correio para a nuvem numa única operação. Utilize a Migração de Correio Electrónico no Painel de Controlo do Exchange para aceder á ferramenta.

Importante

  • A migração do Exchange por transferência de sistema só suporta o Exchange 2003 ou uma versão posterior. Se estiver a executar versões mais antigas do Exchange, tem de utilizar a migração de correio electrónico IMAP ou uma solução de terceiros.

  • Se estiver a utilizar o Exchange e tiver mais de 1000 caixas de correio, considere utilizar a migração faseada do Exchange.

  • Se estiver a planear implementar o início de sessão único, execute a migração do Exchange por transferência primeiro e, em seguida, configure o início de sessão único e a sincronização de diretórios após a migração ter sido concluída. Se executar a sincronização de diretórios antes de executar a migração do Exchange por transferência, a migração irá falhar.

Para mais informações, consulte os seguintes tópicos do Exchange Online:

Voltar ao início

Migração do Exchange faseada

A migração do Exchange faseada destina-se a organizações de grande dimensão ou a organizações que pretendam migrar caixas de correio para a nuvem ao longo do tempo. Neste cenário, é possível migrar algumas caixas de correio para a nuvem e manter simultaneamente o resto das caixas de correio na organização no local. Utilize a Migração de Correio Electrónico no Painel de Controlo do Exchange para aceder á ferramenta.

Importante

  • A migração do Exchange faseada foi concebida para organizações que, eventualmente, estejam a planear mover todas as caixas de correio do Exchange no local para a nuvem. Não é melhor prática utilizar a migração do Exchange faseada para migrar apenas algumas caixas de correio como parte de um cenário de co-existência mais longo.

  • A migração de Exchange por fases só suporta o Exchange 2003 ou o Exchange 2007. Se estiver a executar versões mais antigas do Exchange, terá de utilizar a migração de correio eletrónico IMAP ou uma solução de outros fabricantes. Se estiver a executar o Exchange 2010, tem de implementar uma implementação híbrida e utilizar pedidos para mover para migrar.

  • A migração do Exchange faseada exige a sincronização de directórios.

  • Se estiver a planear implementar o início de sessão único como parte do plano de implementação a longo prazo, configure o início de sessão único e a sincronização de directórios antes de a migração do Exchange faseada ser executada.

Para mais informações, consulte os tópicos seguintes:

Migração de correio electrónico IMAP

A migração de correio electrónico IMAP foi concebida como uma ferramenta de migração de conteúdo de correio electrónico de contingência para uma grande variedade de servidores de correio electrónico. Se estiver a executar o Exchange 2000 Server ou o Exchange Server 5.5 Service Pack 4, ou outro servidor IMAP compatível, tal como o Gmail, a migração de correio electrónico IMAP apresenta-se como uma opção. Utilize a Migração de Correio Electrónico no Painel de Controlo do Exchange e um ficheiro CSV.

Para mais informações, consulte os seguintes tópicos do Exchange Online:

PST Capture

O Microsoft Exchange PST Capture constitui outro método de migração de itens de caixa de correio para caixas de correio na nuvem. A ferramenta PST Capture permite pesquisar e recolher ficheiros PST em computadores na organização no local e, em seguida, importá-los para caixas de correio na nuvem. Note que também pode utilizar a ferramenta PST Capture para importar ficheiros para caixas de correio principais ou de arquivo no local. Para mais informações, consulte Microsoft Exchange PST Capture.

Soluções de terceiros

Em seguida, encontram-se algumas ferramentas de migração de terceiros e parceiros que podem ajudar com migrações do Exchange a partir de plataformas que não sejam da Microsoft:

  • Binary Tree   Fornecedor de software de co-existência e migração de mensagens entre plataformas com produtos que fornecem análise de, bem como co-existência e migração entre, ambientes de colaboração e mensagens para empresas no local e online com base em IBM Lotus Notes e Domino, e Microsoft Exchange e Microsoft SharePoint.

  • BitTitan  Fornecedor de soluções personalizadas de co-existência e migração de correio electrónico para o Exchange 2007 e o Exchange Online.

  • Cemaphore   Fornecedor de soluções de migração do Microsoft Exchange no local para o Microsoft Online.

  • Quest   Fornecedor de soluções de migração para o Exchange Online e SharePoint Online, incluindo migrações de Lotus Notes e Novell GroupWise para o Exchange Online.

  • Metalogix   Fornecedor de soluções de migração para o Exchange Online e SharePoint Online.

Voltar ao início

 
Tópicos de ajuda relacionados
A carregar...
Não foram encontrados recursos.